O período perinatal requer maior necessidade de cuidados de saúde especializados, pressupondo um contato periódico, estabelecido por guidelines internacionais, com os serviços de saúde. Para uma mulher migrante este período pode acrescer a uma situação de vulnerabilidade, com maiores riscos para a saúde. Tendo em conta que o período reprodutivo e perinatal influencia e molda o futuro da mãe e da criança, é importante compreender de que forma estes cuidados são disponibilizados e experienciados. É importante também, evidenciar a forma como a política de saúde, que tem em consideração os direitos dos migrantes legalmente definidos em Portugal, é vivenciada.

O projeto baMBINO pretende estudar se os hospitais portugueses estão preparados para receber mulheres migrantes, provenientes de contextos culturais diferentes e avaliar a satisfação destas mulheres relativamente aos cuidados recebidos ao longo da gravidez, no momento do parto e após o parto. Os resultados serão depois comparados com a situação reportada pelas mulheres nativas.

Com a colaboração dos hospitais, centros  hospitalares e unidades locais de saúde a nível nacional, serão avaliadas 3500 mulheres migrantes e igual número de mulheres portuguesas nativas, até ao final de 2018.

Prevê-se que os resultados possam servir de base para apoiar decisões baseadas na evidência no âmbito da implementação ou melhoria da qualidade de programas de saúde perinatal e integração das migrantes no Serviço Nacional de Saúde.